domingo, 24 de abril de 2016

Om Mani Padme Hum



Meus amigos de Luz agradeço a cada um de vocês que colocaram seus nomes aceitando o envio de Reiki hoje.



Humanamente não tenho como responder a todos, pois em 6hs foram mais de 11 mil pessoas alcançadas.

Sinta-se todos envolvidos na luz universal, ás 22hs enviarei o Reiki, peço a todos os Reikianos que entrem nessa vibração comigo e imagine que cada pessoa que disse aceito possa receber o que mais necessita.

IMPORTANTE: O envio começa 22hs horario brasileiro, peço que estejam em um local tranquilo onde não seja interrompido por 10 minutos. Coloque suas mãos a onde você necessita mais de energia de cura. Feche os olhos e imagine-se recebendo o que precisa, feliz e agradecido.

Segue abaixo uma musica para caso queiram colocar durante o envio do Reiki.

“O homem é aquilo que pensa.”

No Tibete utiliza-se o mantra como orações repetidas. É um caminho e um meio de alcançar paz e também elevação da consciência ou iluminação.

Tudo o que pensamos se concretiza na matéria, por esse motivo eles valorizam muito a palavra, ou seja tudo aquilo que falamos e pensamos.

O Mantra mais utilizado na tradição tibetana e associado ao Bodhisattva da Compaixão é o

Om Mani Padme Hum (pronuncia-se Om Mani Peme Hum)

Caso queiram podem nos enviar seus depoimentos do que sentiram durante o envio do Reiki a distância.

Por: Ana Paula Granjeiro, apenas uma aprendiz

sábado, 9 de abril de 2016

Papel Maché - bijoux - o gôsto por exclusividade



Sou uma pessoa bastante inquieta com relação à arte. Estou sempre buscando fazer algo diferente. Gosto de exclusividade. O papel maché surgiu em 1993 com a finalidade de reciclar. Não sou acumuladora, mas gosto bem de juntar umas coisas que ninguém vê sentido mas que eu, ao olhar, já sinto que pode surgir algo novo e interessante. E não é que sai mesmo!

sexta-feira, 8 de abril de 2016

ICE - International Collage Exchange & Exhibition

International Collage Exhibition and Exchange starts at Percy Thomson Gallery 

Organiser of the International Collage Exhibition and Exchange, Dale Copeland, with the 30,000th piece created by Maria ...
YVETTE BATTEN/FAIRFAX NZ

Organiser of the International Collage Exhibition and Exchange, Dale Copeland, with the 30,000th piece created by Maria Avila of Brazil.

Foi uma grande surpresa, e alegria, ao ver Dale Copeland mostrando minha colagem na foto do Jornal stuff.co.nz, como sendo a 30.000 desde que ela iniciou o ICE. Foi um grande "ponta pé" para me alertar que é importante seguir fazendo Arte mas também cuidar da divulgação.  Tenho estado ausente do blog, não deveria. C´est la vie.

Meu primeiro contato com Dale foi em 2003 quando a " encontrei"  visitando sites de arte na internet. Fiquei incrivelmente admirada com o trabalho dela. Nunca tinha visto algo assim com tantos significados.
A partir dai se deu uma linda amizade virtual, e é como se a conhecesse de fato, pessoalmente. 

Através desse contato tive a chance de participar de três (3) livros sobre arte, editados em Nova Zelândia por Dale Copeland:
1 - The Copeland Collection Vol. 1
2 - Exhibit No Fear
2 - Portrait Of The Artist

Assim sendo, eu convido vocês a visitar a exposição que se iniciou no dia 1 de abril e vai até o fim do mês. Um trabalho de cada artista esta à venda na Galeria Percy Thomson, em Stratford, Nova Zelândia ( Percy Thomson Gallery in Stratford); e outro, de cada artista, será doado à Fundação Verbeke na Belgica (Verbeke Foundation in Belgium)

Abraço a todos que me dão o prazer de visitar meu Blog.

quinta-feira, 10 de março de 2016

Parece que foi ontem / Looks like it was yesterday

Parece que foi ontem

Parece que foi ontem
O tempo passou
a vida mudou
os filhos cresceram
os netos chegaram
a produção caiu
a coluna ruiu
o coração partiu
a vontade dormiu
a paisagem mudou
a abstração surgiu
flores? só no jardim
cuidadas com um amor sem fim

Todo dia é um novo dia
um brotinho que aparece,
outro verdinho que surge
da semente guardada
e olhada como prece
que diz: - um dia serei flor
no teu jardim da vida
te darei alegria
e falarei com você:
não desista.

by Maria Avila
................................
Looks like it was yesterday
The time has passed
life has changed
children grew
grandchildren arrived
production fell
the column collapsed
the heart was broken
will sleep
the landscape has changed
abstraction emerged
flowers? only in the garden
cared for with a love without end

Every day is a new day
one sprout that appears,
another blue whiting that arises
the saved seed
and look at how prayer
that says - one day I will be flower
in your garden of life
I will give you joy
and I will speak with you :
do not give up.

by Mary Avila

sexta-feira, 26 de junho de 2015

TOCANDO EM FRENTE - ALMIR SATER E LIMA DUARTE



Tocando em Frente / Almir Sater

Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Hoje me sinto mais forte
Mais feliz, quem sabe
Só levo a certeza
De que muito pouco sei
Ou nada sei

Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente

Como um velho boiadeiro
Levando a boiada
Eu vou tocando os dias
Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir

Todo mundo ama um dia
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora

Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz

Conhecer as matas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir

Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz

terça-feira, 16 de junho de 2015

After a while – Veronica A. Shoffstall

After a while – Veronica A. Shoffstall
After a while you learn
the subtle difference between
holding a hand and chaining a soul
and you learn
that love doesn’t mean leaning
and company doesn’t always mean security.
And you begin to learn
that kisses aren’t contracts
and presents aren’t promises
and you begin to accept your defeats
with your head up and your eyes ahead
with the grace of woman, not the grief of a child
and you learn
to build all your roads on today
because tomorrow’s ground is
too uncertain for plans
and futures have a way of falling down
in mid-flight.
After a while you learn
that even sunshine burns
if you get too much
so you plant your own garden
and decorate your own soul
instead of waiting for someone
to bring you flowers.
And you learn that you really can endure
you really are strong
you really do have worth
and you learn
and you learn
with every goodbye, you learn…

Depois de um tempo - por Veronica Shoffstall

Veronica Shoffstall é uma americana autora do poema "After a While", escrito em seu livro de formatura e divulgado na internet como sendo de autoria de William Shakespeare
Depois de um tempo
Depois de um tempo você aprende 
a sutil diferença entre
segurar uma mão e acorrentar uma alma
e você aprende
que amar não significa apoiar-se
e companhia não quer sempre dizer segurança
e você começa a aprender
que beijos não são contratos
e presentes não são promessas
e você começa a aceitar suas derrotas
com sua cabeça erguida e seus olhos adiante
com a graça de mulher, não a tristeza de uma ciança
e você aprende
a construir todas as estradas hoje
porque o terreno de amanhã é
demasiado incerto para planos
e futuros têm o hábito de cair
no meio do vôo
Depois de um tempo você aprende
que até mesmo a luz do sol queima
se você a tiver demais
então você planta seu próprio jardim
e enfeita sua própria alma
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores
E você aprende que você realmente pode resistir
você realmente é forte
você realmente tem valor
e você aprende
e você aprende
com cada adeus, você aprende.

Veronica Shoffstall

terça-feira, 2 de junho de 2015

A borboleta pousada ou é Deus ou é nada.

A borboleta pousada ou é Deus ou é nada.

Adélia Prado


          

Poema - Mario Quintana



Se alguém te perguntar o quiseste dizer com um poema, pergunta-lhe o que Deus quis dizer com este mundo...

Mario Quintana

De que são feitos os dias? por Cecília Meireles

Comêço - the source

De que são feitos os dias? - De pequenos desejos, vagarosas saudades, silenciosas lembranças. Entre mágoas sombrias, momentâneos lampejos: vagas felicidades, inactuais esperanças. De loucuras, de crimes, de pecados, de glórias - do medo que encadeia todas essas mudanças. Dentro deles vivemos, dentro deles choramos, em duros desenlaces e em sinistras alianças...


segunda-feira, 1 de junho de 2015

Mensagem de Rudolf Steiner - A Arte - uma linguagem


A Arte - Uma linguagem
" Em tempos longíquos o Espirito Humano suplicou ao Espírito Celeste:
" Sei falar a língua dos homens, mas peço dar-me aquela língua pela qual o coração do mundo (Cosmos) fala ao coração do homem!.
Foi então que o Bondoso Espírito Celeste deu ao homem a ARTE".
por Rudolf Steiner

Ao fundo um quadro meu,óleo sobre tela

Cactus em flor + terrarium


Parece que foi ontem
O tempo passou
a vida mudou
os filhos cresceram
os netos chegaram
a produção caiu
a coluna ruiu
o coração partiu
a vontade dormiu
a paisagem mudou
a abstração surgiu
flores? só no jardim
cuidadas com um amor sem fim

Todo dia é um novo dia
um brotinho que aparece,
outro verdinho que surge
da semente guardada
e olhada como prece
que diz: - um dia serei flor
no teu jardim da vida
te darei alegria
e falarei com você:
não desista.

by Maria Avila

Terrarium

domingo, 31 de maio de 2015

Julia Cameron Morning Pages & the Artists Date: Women Unlimited TV

Tempo que não volta mais

Desde que comecei a pintar, escolhia os motivos que estavam à minha volta. Meus filhos foram grandes modelos; aproveitava quando assistiam televisão e lá estava eu com tela e carvão. 
Este ai foi feito em 1980.


Sempre sonhei em fazer BELAS ARTES, não foi possível. Minha vida era cuidar dos meus filhos, casa e tudo o mais. Até que um dia comprei o material e comecei. Meu primeiro quadro foi na fazenda S. Matheus, em Juiz de Fora, MG. Não parei mais. Hoje em dia também faço colagens, o que me surpreende bastante. Não planejo, deixo fluir.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Maria Avila: Construindo pontes ao invés de muros

Maria Avila: Construindo pontes ao invés de muros: Construindo pontes, não muros Às vezes a vida nos mostra um lado sombrio das pessoas. Causa impacto. Mas nada como seguir adiante e...

Construindo pontes ao invés de muros


Construindo pontes, não muros

Às vezes a vida nos mostra um lado sombrio das pessoas. Causa impacto. Mas nada como seguir adiante e ver a vida com cores, alegria e um presente de Deus. Nada acontece por acaso, eu creio, e portanto há uma missão a ser cumprida, e procuro cumprir a minha da melhor forma possivel, e ter a consciência tranquila de que fiz o melhor que pude.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Living With art - Vivendo Com Arte

Fazer arte sempre foi minha paixão primeira. 
De um modo ou de outro eu gosto de conviver com o belo; seja a casa transfomada e parecida comigo; seja no jardim, onde curto minhas plantas; ou num pequeno detalhe na cozinha ou na varanda. A sala, onde mostro meu trabalho e de alguns pintores que admiro, é onde está a seleção que nela cabe. Meu atelier é minha morada, é meu ponto, onde medito e entro em profundo contato comigo mesma, onde encontro as perguntas não feitas ao realizar um trabalho; onde me encanto com  o que está por vir a ser. Artista não tem férias. Muito estudo mas é a intuição que me guia.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...